3 de abril

Abril é mês de liberdade, das liberdades…mas é também mês internacional da prevenção dos maus tratos na infância…se há dúvidas que ainda à abril para cumprir, esta, entre aspas, coincidência…esclarece bem que há!

Prevenir a violência, todos os tipos de violência é essencial, uma sociedade que se quer moderna, progressista, inovadora, sustentável, justa e equilibrada só tem, ponto final, de cumprir a máxima de que  “A melhor forma de tratar o problema é impedir que aconteça” repito, a melhor forma de tratar o problema é impedir que aconteça…

Sendo certo, sabido, provavelmente consensual que a imagem que as Comissões Protectoras das Crianças e dos Jovens tem junto das comunidades não é a melhor de todas…não haverão 1000 sinalizações com sucesso que abafem uma retirada, mediatizada, dramatizada e automaticamente esquecida, atropelada pela velocidade da agenda dos orgãos de comunicação social que correm atrás das tragédias e raramente as acompanham até à resolução final. Felizmente que a realidade, ainda que bruta e cruel, é real e sujeita ao escrutínio dos números diz-nos que apenas uma ínfima parte das sinalizações nas CPCJ’s resulta na retirada das crianças ou jovens às famílias.

Felizmente que a imagem é o que menos preocupa as pessoas que trabalham, refletem e actuam nas comissões, onde o superior interesse da criança e dos jovens é o foco essencial e único da missão de centenas de mulheres e homens neste país.

Infelizmente, indiferente à referida imagem, a violência sobre as crianças não pára, por todas as razões e mais algumas, chega a parecer que hoje tudo serve de motivo para recorrer à violência…atente-se à crueldade dos números usados pela APAV (associação de apoio à vítima) na sua recente campanha de sensibilização para a doação de 0,5% do IRS…apoiar 1018 crianças vitimas de violência por ano só custa x, apoiar 868 idosos vitimas de violência por ano só custa x, apoiar 1075 homens vítimas de violência por ano só custa x, apoiar 6933 mulheres vitimas de violência por ano só custa x…1018 crianças, 868 idosos, 1075 homens, 6933 mulheres…nove mil oitocentos e noventa e quatro seres humanos…há duvidas que temos Abril para cumprir?

Há pontes para construir, há muros para derrubar…talvez prevenir os maus tratos na infância neste mês de abril comece por deixarmos de ser indiferentes ao que se passa na nossa rua, nas nossas aldeias!