Atividade Parlamentar | Requerimento/Pergunta

Destinatário: Ministério do Ambiente e da Transição Energética

Assunto: Poluição da Ribeira da Boa Água (Torres Novas)

Exmo. Senhor Presidente da Assembleia da República

Os fenómenos de poluição na denominada ribeira da Boa Água (afluente do rio Almonda, no concelho de Torres Novas) conduzem a um alarme social e a preocupações no ambiente, na economia e na saúde pública. É uma questão com muitos anos e que, por isso, atravessou Governos ainda sem resolução.

Ao longo desta legislatura este processo foi debatido na Assembleia da República em diversos momentos, sendo de sublinhar a Petição no218/XIII/2 com um alargado número de subscritores que foi debatida em plenário, tendo levado à apresentação de vários projetos de resolução, entre eles o Projeto de Resolução 986/XIII/3 do Grupo Parlamentar do Partido Socialista.

O Governo, ao longo da legislatura, tem-se mostrado disponível para a fiscalização e soluções necessárias, cumprindo a Resolução da Assembleia 209 de 2017. No passado dia 18 de fevereiro, os deputados eleitos pelo distrito de Santarém, foram convidados a visualizar os focos de poluição e a auscultar a população.

Assim sendo, e ao abrigo do disposto na alínea d) do artigo 156.o da Constituição da República Portuguesa, e da alínea d) do n.o 1 do art.o 4.o e nos termos do art.o 229o, ambos do Regimento da Assembleia da República, vimos através de V. Exa, perguntar, em nome do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, ao Ministro do Ambiente e da Transição Energética:

• Quais os resultados e conclusões retiradas das diversas diligências efetuadas?

• Que novas medidas estão a ser preparadas com vista à resolução deste problema?

• São conhecidos dados dos eventuais impactos desta problemática na saúde pública?

Palácio de São Bento, 20 de fevereiro de 2019

Deputado(a)s
Hugo Costa, António Gameiro, Maria Lopes

18033287_1343398129081570_8631889413067157680_n

Carta Gastronómica da Lezíria do Tejo (CIV)

Enguias fritas II 

(receita de Maria Cacilda Rabita, 78 anos – Escaroupim, Salvaterra de Magos)

Ingredientes: Enguias, alho, azeite, louro, sal e vinagre. 

Modo de fazer: Lavam-se as enguias, corta-se-lhes a cabeça, faz-se um golpe a meio e tira-se-lhe as tripas. Lavam-se e limpam-se muito bem temperam-se com grãos de sal. Derrama-se azeite para uma frigideira, bem como alho e louro. Deixa-se alourar o alho e fritam-se. No fim temperam-se com um golpe de vinagre. 

#mesdaenguia2019 #gostodeportasvelhas #GastronomiadaLeziriadoTejo #visitribatejo 

51319394_500232113716724_6320554897351639040_n

Glossário

Estremalho: rede de pesca das enguias

Ribatejo

“Ora, é no Ribatejo o sítio do mundo onde esse embate é mais belo e natural.

A luta, ali, não é para servir nenhum senhor, ou distrair a atenção inquietante das massas. É um lúdico acto de coragem, alegre e soalheiro. Por sentir que o combate que vai travar não é um fruto do rancor mas o desabrochar de uma espontânea solicitação, o campino veste-se de garridos trajes, ergue na mão um pampilho, o ceptro da sua majestade, o símbolo duma grandeza feita de graça e valentia e, quando soa na praça o clarim da refrega, é assim vistoso e confiado que ele se expõe. E chama festa brava à lide gloriosa!

O toureiro português, ribatejano, é a prova de que nem tudo no homem é cobardia de açougue, mistificação vegetariana. A vida é um desempate permanente e o que é preciso é jogar com limpeza e formosura em cada número de caprichosa roleta.”

Miguel Torga, in Portugal

IMG_0795

Sombras que persistem!

IMG_0662

De regresso a Mação, depois de lá ter estado em 2017 e 2018, continua a ser deprimente o grau de destruição dos incêndios, a natureza recupera lentamente e, ainda que inabalável, a vontade querer e crer das pessoas revela-se sempre insuficiente.

Há responsabilidades destes e daqueles, especialmente dos “outros”, há sempre um “outro” qualquer que devia ter feito e não fez…se é certo que em ano eleitoral uns vão ser mais responsabilizados que outros, isso pouco importa aos territórios e suas gentes (que sendo essenciais são cada vez menos diga-se de passagem).

Haja capacidade de entendimento e convergência, isso sim permitirá ganhar o futuro e em especial o presente.

Carta Gastronómica da Lezíria do Tejo (LXXXIX)

Bolos de pinhão

(receita de Maria Gracinda da Silva Teles David Maia, 79 anos – Couço, Coruche)

Ingredientes: 1⁄2 kg de açúcar, 1⁄2 de pinhões torrados, 4 claras, azeite e farinha para barrar o tabuleiro.

 Modo de fazer: Batem-se as claras com o açúcar muito bem batidas, juntam-se os pinhões e mistura-se tudo bem misturado. Unta-se o tabuleiro com azeite e farinha, fazem-se montinhos da massa no tabuleiro e vão ao forno. Não podem ser retirados do forno nem muito quentes, nem frios.

#gostodeportasvelhas #GastronomiadaLeziriadoTejo #visitribatejo 

IMG_0639

Glossário

Untar: técnica culinária consiste em passar algum tipo de gordura, manteiga, margarina, azeite ou óleo, em assadeira, panela ou forma antes de nela colocar o alimento a ser levado ao forno ou ao fogo. Pode-se untar também o próprio alimento, conforme o pedido na receita, antes de levá-lo ao forno.