JOVENS DE COSTAS VOLTADAS PARA A POLÍTICA?

logo_fronteirasxxi_top

17 DE OUTUBRO 2018 | 21H30

Alheados e desinteressados. É este o retrato da participação política dos jovens portugueses feito por vários estudos. Não se revêem nos partidos, nem em muitas associações, mas estão cada vez mais activos na internet. Quem está a fazer a diferença na sociedade civil? E como? Veja o debate.

Combater o desemprego, proteger o ambiente, defender a igualdade das mulheres. São mais as grandes causas do que os partidos que hoje levam jovens a envolverem-se na sociedade portuguesa?

Parece que sim. Os estudos mostram que a maioria dos adolescentes e jovens não têm interesse na política, apesar de os índices de satisfação com a democracia estarem a melhorar em Portugal.

Não se revêem nos partidos, não lêem notícias nos jornais nem vão à internet aprofundar estes temas. E, apontam alguns dados, até votam menos do que há uns anos.

São também pouco participativos na vida associativa. Apenas cinco em cada 100 portugueses entre os 15 e os 24 anos estavam ligados a uma associação juvenil e apenas 2% pertenciam a uma associação de apoio humanitário em 2015. Números que crescem à medida que a idade avança, mas continuam a ser pouco expressivos.

É através da internet que mais revelam os seus comportamentos cívicos. Como é que chegamos aqui e de que forma os mais activos estão a fazer-se ouvir?

Como é possível alterar este cenário? E quem são os jovens que estão a fazer diferença na sociedade?

No próximo Fronteiras XXI juntamos o músico e fundador dos Buraka Som Sistema, Kalaf Epalanga, o presidente do Conselho Nacional da Juventude Hugo Carvalho, a ex-líder do grupo de jovens promessas criado pelo Fórum Económico Mundial Inês Relvas e o professor de Ciência Política Carlos Jalali.

No programa teremos contributo especial da mais jovem autarca nacional, Isabel Guedes, que aos 21 anos se tornou presidente da Junta de Eja (Penafiel).

A moderação do Fronteiras XXI fica nas mãos da jornalista Ana Lourenço. Não perca, dia 17 de Outubro, às 21h30, na RTP3.

Links úteis:

Infografia: Eu, Jovem, Político

Quarenta Anos de Abstenção

Mais: aqui

Anúncios

EducTalkes – Inspirar a Educação do Futuro

IMG_7981

Interessante…muito interessante a iniciativa da Câmara Municipal, no âmbito das V Jornadas da Saúde, do Social e da Educação do Concelho de Salvaterra de Magos. O EducTalks – Inspirar a Educação do Futuro foi verdadeiramente uma lição de vida, como “novos projectos”, boas práticas, desconstrução de conceitos, desafios e partilha de ideias.

Com a Joana Ribeiro de Carvalho, o Rui da Rosa, o Jorge Santos, o Carlos Matias, a Andreia Azevedo e o Sabino Soares, tivemos oportunidade de ouvir sobre o “Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolas – PIICIELT”, (que eu gostava que não usasse as expressões: bélicas como “combate” e negativas como “insucesso”) “Academia de Inteligência Emocional”, sobre as “Vivências associadas à prática educativa (com uma apresentação da bondade do projeto TVR notável, que nos transmite que algumas das inovações de hoje já são trabalhadas há muito) sobre “A importância das colectividades/associações na promoção do sucesso escolar” (aqui tenho a maior das duvidas nesta definição de sucesso), sobre “A importância da Parentalidade Positiva na promoção do sucesso escolar” e sobre “Os benefícios do Mindfulness na promoção do sucesso escolar”.

Num momento em que temos uma escola do Sec. XIX, professores do Sec. XX e alunos do Sec. XXI estas desconstruções são extremamente úteis, obrigam-nos a pensar fora da caixa e a puxar pela criatividade, o sistema de base está errado e não bastam boas práticas aqui e a ali para promover a realização escolar das crianças e jovens, primeiro à que derrubar o muro e depois construir uma ponte, assente na definição histórica de que “para educar uma criança precisamos de toda a aldeia”

Vemos, ouvimos e lemos. Não podemos ignorar! Com Sofia fica o agradecimento pela iniciativa, pela oportunidade de participar e pela vontade de continuar a aprender com esta gente de experiências maravilhosas que têm de ser integradas, sistematizadas e implementadas em todos os territórios do país.

Descentralização

800

Processo de Descentralização
(ponto de situação)

Informação disponível no portal do governo sobre os diplomas (aprovados a 13, 20 e 27 de setembro e 4 de outubro) que concretizam a descentralização de competências para as autarquias locais e entidades intermunicipais.

Dia 4 de Outubro

Foi aprovado o decreto-lei que concretiza a transferência de competências para os órgãos municipais no domínio do estacionamento público.

Os municípios passam a exercer competências no que respeita à fiscalização do estacionamento assim como à instrução e decisão de procedimentos contraordenacionais rodoviários por infrações leves nas vias ou troços de via concessionados ou subconcessionados dentro das localidades e fora das localidades sob jurisdição municipal.

Este diploma vem juntar-se aos outros 15 já aprovados no âmbito do processo de transferência de competências para as autarquias locais e para as entidades intermunicipais previsto na Lei-Quadro da Descentralização, publicada a 16 de agosto.

Continuar a ler