“O Hospital funciona como um todo: todos os funcionários são importantes”

Era um grupo que não se conhecia mas que se sentou á mesa e que começou a trabalhar nestes problemas essenciais? Sim, em termos de equipa, somos muito coesos, com saberes diferentes e que nos unimos por um objectivo comum que é o de diferenciar o Hospital de Santarém, que estava um pouco estagnado, parado no tempo, relativamente, até, às novas regras de gestão e aos novos projectos. Acresce que a visibilidade na comunicação social também não era muito positiva. Portanto, e paralelamente aos problemas cruciais que constrangiam o Hospital, que já referi, tivemos de fazer todo um trabalho de motivação de profissionais: criámos uma cultura participativa, de compromisso, entre o CA e os directores de serviço, em que, anualmente, discutimos com eles as metas assistenciais e os custos a cumprir e ouvimos as dificuldades. É um espaço de diálogo, mas é, também, um compromisso de ambas as partes. E isso foi muito apreciado pelos directores clínicos -não só pelos directores médicos – porque se sentiram ouvidos e também porque poderão partilhar os seus desejos e as suas ansiedades e as dificuldades que sentem nos seus serviços.

Correio do Ribatejo

(entrevista completa: aqui)

Anúncios

TINA, diziam-nos eles

Um dia isto tinha de acontecer….citar Schäuble é um típico exercício da direita portuguesa, de Passos Coelho, Paulo Portas, Vitor Gaspar, Maria Luisa Albuquerque, Paulo Rangel, Nuno Melo, a Miguel Morgado e Companhia, Lda. Hoje provavelmente nenhum deles o é capaz de fazer, façamos então nós esse exercício de citar Schäuble, Wolfgang Schäuble.

There Is No Alternative diziam-nos eles entre 2011 e 2015… e eis que chegados a 2019:

“Bem…sinto-me triste, porque tive um papel em tudo isso. E penso como podíamos ter feito as coisas de forma diferente” WS

Carta Gastronómica da Lezíria do Tejo (CXIX)

Sopa da pedra
(receita de Matilde Lopes Fernandes, 86 anos – Alcanhões, Santarém)

Ingredientes: Feijão catarino, focinho e queixadas de porco, chouriço de carne, farinheira, e toucinho da barriga, batatas, cebola, coentros, uma folha de louro, água e sal.

Modo de fazer: O feijão fica de molho de um dia para o outro. Coze-se o feijão em água e sal. Guarda-se. As carnes salgadas lavam-se bem lavadas e põem-se a cozer. As farinheiras e as morcelas cozem-se à parte. Aproveita-se a água de cozer as carnes. Descascam-se as batatas, cortam-se aos quadrados miudinhos e cozem na água das carnes, ao ficarem quase cozidas recebem as carnes, uma cebola e um ramo de coentros. Deixa-se ferver, ao a cebola ficar cozida retira-se e o mesmo se faz aos coentros. Rectificam-se os temperos. Corta-se o chouriço aos bocadinhos, assim como a farinheira e a morcela que cozeram à parte e juntam-se à sopa.

#gostodeportasvelhas #GastronomiadaLeziriadoTejo #visitribatejo

IMG_1655

Glossário

Garfo: utensílio de cozinha, de serviço ou de mesa, em forma de forcado com dois, três ou quatro dentes. É mencionado na Bíblia, na separação de carne nos sacrifícios. Introduzido na Europa a partir do século X V , foi Henrique III que o levou para França, que o descobriu na corte de Veneza no ano de 1574, tendo apenas dois dentes. A generalização do uso do garfo só ocorreu no século X V I I I , Luís XIV ainda comeu com os dedos. Com o decorrer do tempo os garfos passaram a ter três e quatro dentes. O garfo com dois dentes usa-se em cozinha nos assados para espetar aves e carnes. Existem garfos especiais cujo tamanho varia, e têm uma função específica.

Carta Gastronómica da Lezíria do Tejo (CXVIII)

Caldeirada ao modo do fragateiro
(receita de José António Jerónimo, 83 anos – Azambuja)

Ingredientes: Linguado, robalo, tainha, solha, alho, azeite, cebolas, coentros, colorau, hortelã, sal, salsa e tomate.

Modo de fazer: Amanha-se, limpa-se e cortam-se às postas os peixes. Num tacho de barro coloca-se a cebola às rodelas, os dentes de alho picados, uma folha de louro, tomate aos bocados, o peixe por cima, tempera-se de coentros, colorau, sal e salsa. Rega-se com um fio de azeite. Tapa-se e deixa-se cozer em lume brando.

Nota: Peixes do estuário do Tejo.

#gostodeportasvelhas #GastronomiadaLeziriadoTejo #visitribatejo

FCB21665-0909-48DB-A8FF-6DCDA091D443

Glossário

Caldeiramos: expressão usada pelos trabalhadores rurais, que expressava que para o campo, levavam a caldeira e tudo o que era necessário para cozinhar e comer ao longo da jornada de trabalho, pois não retiravam nada dos campos, já que pertenciam aos proprietários das terras.

Portugal Melhor – GNR SM

IMG_1313

As obras de adaptação da antiga Escola Primária da Avenida, propriedade da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, a Posto Territorial da GNR da sede de Concelho arrancaram formalmente no dia 1 de março, com a assinatura do Auto de Consignação da Empreitada, homologado pelo Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

O Presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, Hélder Manuel Esménio congratulou-se “com os trabalhos que vão ser desenvolvidos neste espaço que o Município se prontificou a disponibilizar à Administração Interna e à GNR para aqui virem a instalar o Posto Territorial da GNR de Salvaterra de Magos, que dotará de melhores condições o alojamento dos militares e o atendimento que será feito à população do nosso Concelho”.

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita considerou este “um momento de realização de uma velha aspiração local e da GNR”. “Vamos dar uma nova vida à velha escola”, disse.

O Comandante-Geral da GNR, Tenente-General Botelho Miguel destacou as renovadas condições de funcionalidade que o futuro posto trará para militares e utentes.

A obra foi adjudicada à empresa NOW XXI – Engenharia & Construções Lda., pelo valor de 642.148,46 euros (IVA incluído) com um prazo de execução de 300 dias.

A visita do Ministro da Administração Interna marcou também o arranque da “Operação Floresta Segura 2019” da GNR no Concelho de Salvaterra de Magos, a qual vai permitir, nomeadamente, a circulação pelas freguesias de um posto móvel daquela força de segurança, equipado com material informático, que procurará sensibilizar e dar visibilidade à necessidade de se realizarem as ações de limpeza de terrenos, informando ainda sobre as práticas a seguir e os locais prioritários.

“Temos estado disponíveis para informar, sensibilizar e notificar para a limpeza das faixas de gestão de combustível e no período crítico temos tido equipas em permanência a vigiar e proteger a floresta, as pessoas e os seus bens, pois só trabalhando em equipa é que se alcançam resultados positivos”, destacou o Presidente da Câmara Municipal.

Na deslocação a Salvaterra de Magos, o Ministro da Administração Interna visitou também a Falcoaria Real e participou na cerimónia de abertura da Feira Nacional de Artesanato e de Produtos Tradicionais, que decorre às sextas, sábados e domingos do mês de março, no Pavilhão do Inatel em Salvaterra de Magos, no âmbito do evento Mês da Enguia.

(Fonte: CMSM)

Estado de Direito

Diz o Neto, de quem a Joana é a melhor amiga, que houve pessoas que “ultrapassaram o que é aceitável no Estado de Direito”… talvez fosse bom o dito dizer-nos então quais são os limites do aceitável… Usar uma moca com pregos? rebentar tímpanos a soco?

Venham de lá então os processos… são uma excelente oportunidade de mantermos em marcha e bem vivo o debate sobre a violência doméstica, vivo e bem vivo em nome das milhares de mulheres vítimas.

IMG_1082